Parece que foi ontem que começamos a falar em 5G e agora a galera já chega com o 6G. Notícias afirmam que — sim, ela mesma — a Huawei já estaria correndo na frente realizando pesquisa para o lançamento do 6G, nos seus laboratórios no Canadá. A tecnologia permitiria melhor uso de inteligência artificial, como controle de carros autônomos e avaliação de dados no mercado financeiro, pois a velocidade de conexão e envio de dados seria surreal.


O Banco Central da China lançou um plano de reforma que altera o perfil de administração monetária da instituição. O objetivo é facilitar a tomada de empréstimos por empresas no país, alimentando o investimento e, assim, o crescimento econômico e o emprego chinês. Pela mudança, a taxa de juros de referência fixa do banco será gradativamente substituída por uma flutuante, que deve refletir melhor as variações do mercado. Na prática, a medida corresponde a um corte na taxa de juros ao crédito e não é surpresa em meio ao cenário de desaceleração que tomou conta da economia do gigante asiático.


Após um funcionário do consulado do Reino Unido em Hong Kong ter sido misteriosamente detido por 15 dias ao voltar de uma viagem a negócios em Shenzhen, alguns corpos diplomáticos na cidade estão agora em estado de alerta. O consulado canadense proibiu que qualquer funcionário seu viajasse a trabalho à China continental por tempo indeterminado.

A mídia chinesa também está criticando alguns aspectos da Belt and Road Initiative (BRI). O jornal Depth Paper publicou uma reportagem sobre um dos principais projetos atuais da BRI: a rota de trem entre China e Europa. A matéria, analisada no blog em inglês Panda Paw Dragon Claw, enfatiza um problema já apontado por analistas: tem muita gente envolvida e é difícil manter um controle sobre os comportamentos de todos os agentes. Ou seja, o projeto estaria sendo usado muito como vitrine e então agentes públicos de governos locais, bem como empresas ferroviárias internacionais, estariam agindo em esquemas de corrupção para forjar a quantidade real de carga (que seria menor do que a anunciada), de modo a manter os subsídios do Ministério das Finanças da China.


O jornalista Matt Sheehan escreveu o livro The Transpacific Experiment sobre a importância da imigração chinesa e do capital advindo do país para o desenvolvimento da Califórnia e do Vale do Silício. Sheehan foi entrevistado sobre o livro, falando sobre como a relação de cooperação entre a cena tech na China e nos EUA mudou para uma de competição — e aproveitou para falar como o TikTok, da chinesa ByteDance, serve como desafio para o próprio Vale e suas concepções de empresas de tecnologia chinesa que decidem entrar no mercado global.


A administração Trump aprovou a venda de 66 jatos F-16 de última geração para Taiwan. O acordo, de 8 bilhões de dólares, não deixou a China feliz. Geng Shuang, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do país, insistiu que os Estados Unidos interrompam as vendas de armas e suspendam suas relações militares com a ilha. Geng ainda afirmou que a venda das aeronaves ao que os chineses consideram como parte indivisível de seu território é uma infração do direito internacional e da Política da China Única — sob a qual Washington reconhece a manutenção de relações formais somente com Pequim e não com Taipei.

Acabaram as férias escolares e a matrícula de jovens estudantes em algumas universidades chinesas veio com uma surpresinha: reconhecimento facial. A própria Tsinghua, conhecida como a melhor universidade do país, já cadastrou cerca de 3.800 alunos com a tecnologia. A matéria da Abacus fala mais da questão, e a empresa por trás do fornecimento dos equipamentos, a Uniview, explica que o reconhecimento ajuda não só com a burocracia de documentos, mas também com a contagem de alunos e, mais além, na matrícula em disciplinas. Por enquanto, não há muita resistência da população para com o uso.


O jogador de origem brasileira Elkeson será o primeiro atleta sem ancestralidade chinesa a integrar a seleção nacional de futebol da China. Elkeson, naturalizado chinês após seis anos residindo e jogando no país, foi convocado para defender o Império do Meio pelo técnico italiano Marcelo Lippi nas classificatórias para a próxima Copa do Mundo no mês que vem. A decisão é mais um passo no obstinado plano chinês de desenvolver o futebol no país. Será que agora, com esse empurrãozinho brasuca, o gigante asiático finalmente deslanchará no esporte?


Com os incêndios na Amazônia, muito se discutiu no Brasil sobre a poluição do ar. E a China, como anda nesse sentido? O famoso documentário chinês de 2015 Under the Dome popularizou a discussão no país. O pessoal do China Power do CSIS criou uma seção no site discutindo se qualidade do ar no país (que tem um nível 5x mais alto de partículas poluentes no ar do que seria recomendado) é um problema social, principalmente como consequência do uso de carvão na matriz energética chinesa.

Zheng He foi um grande explorador chinês do século XV. Sob seu comando, o império da China chegou a praticamente todos os cantos do mundo. Esta seção é inspirada nele e te convida a explorar ainda mais a China.

De Ürümqi para o mundo: Hailun Ma levou as cores vibrantes de Xinjiang para outras culturas com uma série de retratos que questionam padrões de beleza. Confira.

Arte de protesto: os cartazes da organização dos protestos em Hong Kong acabaram chamando atenção também pelo design. Aqui você pode aprender mais sobre o artista na linha de frente da área de “Relações Públicas” das manifestações.

Música: Gary Chaw e companhia fizeram um pop que vai te dar saudade do verão. Vale ouvir e ver o clipe que é, para dizer o mínimo, bem inusitado.

Assine a nossa newsletter!

%d blogueiros gostam disto: